LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 12 de março de 2013

O EVANGELHO DA MASSÁ


O crescimento numérico dos evangélicos é muito comemorado no Brasil. Louvado Seja Deus por todas as vitórias e despertamento que tem nos concedido. Entretanto, na euforia de celebrar as bênçãos, alguns parecem não perceber a crise teológica que tem assolado a igreja. O sucesso é medido pela quantidade de membros, e nessa euforia algumas igrejas deixaram de pregar o verdadeiro evangelho de Cristo.
     Os cultos foram substituídos pelas “reuniões” de entretenimento, vale tudo nessas reuniões, até mesmo banalizar a fé! Não há compromisso com a ética, e a oração é vista como um fardo, um peso terrível. As pregações têm sido adaptadas a fim de agradar aos ouvintes. Exemplo? A teologia adaptada da prosperidade é o carro chefe desse desvio doutrinário. Para muitos um acorde musical é tão eficaz quanto à exposição da Palavra.
     Embora desejamos que os templos estejam cheios de pessoas, a busca pela quantidade, sem o devido compromisso com a Palavra de Deus é uma tragédia espiritual em massa, com conseqüências eternas!
      A Bíblia nos revela o perigo do evangelho da massá: “E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá, e porque tentaram ao Senhor, dizendo: Está o Senhor no meio de nós, ou não?” (Êxodo 17: 7). Israel chega a um deserto chamado sim. Não havia água potável à vista, e o povo nervoso condenava Moisés. Trataram-no como se fosse um operador particular de milagres. Fico imaginando se Moisés tivesse que enfrentar o povo de hoje sem água para beber (milagre), com certeza, chupariam até o suor dele com canudinho. Note que nenhum deles se voltou a Deus em oração, apenas exigiram: “... Dá- nos água para beber...” (Êxodo 17: 2).
      Ninguém foi capaz de dizer: “Como Deus é maravilhoso, como Ele tem cuidado de nós em relação à água. O Senhor abriu o mar vermelho e nos livrou de Faraó, adoçou as águas amargas de Mara, certamente Ele ira prover para nós água potável”.
      O perigoso evangelho da massá tem feito muitos sacerdotes tropeçarem e, desobedecerem à voz de Deus. “Mas o Senhor disse a Moisés e Arão: Visto que não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, não introduzirei este povo na terra que lhe dei” (Números 20: 12).
      Ao jorrar a água em abundancia naquele lugar, Deus pôs o nome de incredulidade nesse episódio e chamou aquele lugar de Massa, que quer dizer provocação, e também significa exasperado, áspero, irritado.
       Mas Deus ficou irritado com o povo de Israel só porque eles estavam com sede? E as crianças chorando pedindo água e as mulheres? Não! Deus não ficou irritado por causa da água, mas sim com as reclamações e incredulidade daquele povo. “... Por que nos fizestes subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e a nossos filhos, e a nosso gado?” (Êxodo 17: 3).
      Um povo que só lembrava-se de Deus quando estava com sede e com fome. A nuvem protegia do sol causticante do dia, e a coluna de fogo do frio da noite, como se fosse um ar- condicionado na temperatura ideal. Este é o grande problema do evangelho da massá, milhares estão lotando os templos, apenas indo atrás de bênçãos, curas e dos operadores de milagres particulares. Como é fácil pegar- mos o atalho da facilidade e nos tornamos com os insensatos gálatas: “Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus foi já representado como crucificado?” (Gálatas 3: 1).
      Foi exatamente isso que aconteceu com o povo no deserto. O povo de Israel nunca se comprometeu inteiramente a confiar no Senhor, a massá estava levedada pelo pecado da rebeldia: “Rebeldes fostes ao mandado do Senhor, vosso Deus, e não o crestes, e não obedecestes à sua voz. Rebeldes fostes contra o Senhor, desde o dia em que vos conheci” (Deuteronômio 9: 23- 24).
   Um povo que apenas exigia milagres e bênçãos de Deus, exatamente como o determinismo que nós presenciamos nos dias de hoje. Alguns templos foram transformados em “distribuidores” de milagres e bênçãos materiais, com a seguinte propaganda: “Igreja da benção, o lugar onde o milagre acontece” com certeza isso tem provocado a Deus. 
      Note, que não foi por falta de milagre que o povo de Israel ficou incrédulo. Eles viram o mar vermelho se abrir, as águas amargas ficarem doce, mana, vindo do céu.
     Deus se irritou com este povo porque eles nunca confiaram verdadeiramente no Senhor. Eles guardavam pequenos deuses escondidos nas tendas, era o plano “B” deles. Se Deus falhasse eles retornariam para os seus deuses que eles trouxeram escondido do Egito: “Me oferecestes vitimas e sacrifícios no deserto... e acaso não levantastes o tabernáculo de Moloque e a estrela do deus Renfã, figuras que fizestes para adorar?” (Atos 7: 42- 43).
     Eles culpavam a Deus pela falta de água, faziam suas reivindicações a Moisés, e se escondiam em suas tendas para adorar deuses estranhos. Agora você consegue entender o porquê Deus ficou tão irado com eles?  
     O povo de Israel escondia o pecado dentro de suas tendas. Vendo esse evangelho da massá onde as multidões estão presas na cobiça. Há muita coisa oculta na igreja e nos lares cristãos, buscam, benção física  proteção e bênçãos materiais na igreja, mas nunca deixaram os seus ídolos ocultos em suas casas.
    Como Deus não iria ficar irritado com eles? Esse povo havia passado o mar vermelho agarrado aos seus ídolos. Ficaram agarrados a eles até mesmo quando o exercito de faraó sucumbia no mar vermelho.
    Em nossos dias, os templos estão cheios de massa e milagres de todo tipo, mas creio que falta o milagre principal na vida dessas pessoas! O MILAGRE DA DA TRANSFORMAÇÃO! Este foi o primeiro milagre que Jesus realizou: “Este, o primeiro dos seus sinais miraculosos, Jesus realizou em Canã da Galiléia. Assim revelou a sua glória, e seus discípulos creram nele”. (João 2: 11).
     Mesmo esse povo escondendo os seus ídolos, Deus enche a barriga deles de água potável. Contudo este povo da Massá prosseguiu escondendo o pecado. O culto a moloque era detestável perante o Senhor, pois era o deus do sacrifício infantil, agora eu te pergunto: “Este culto não continua nos dias de hoje?”. Veja o numero de abortos praticado em nosso país, é o deus moloque- aborto continua. Quantos pais estão sacrificando seus filhos ao deus moloque- televisão. O deus moloque educação infantil sem Deus. “Oferecestes- me vós sacrifícios e oblações no deserto por quarenta anos, ó casa de Israel? Antes, levastes a tenda de vosso Moloque, e o altar das vossas imagens, e a estrela do vosso deus, que fizestes para vós mesmos” (Amós 5: 25- 26).
      O evangelho da massá é muito perigoso, pois muitos dessa massa ficarão de fora da terra prometida por causa da incredulidade.
     Embora nos dias de hoje, fala- se muito em fé; mas, a fé que nós temos presenciado é uma fé placebo, uma ilusão, que direciona a ingenuidade e fatalmente a incredulidade!
     Um pecado deixou Israel fora da terra prometida. Embora as Escrituras descrevam os israelitas de geração adultera, não foi o adultério que os deixou para fora. Também não foi o divórcio! Embora Jesus dissesse que Moisés concedeu o divórcio a essa geração devido à dureza de seus corações. Não foi nem mesmo a idolatria desenfreada e secreta daquele povo. “Então foi o revanchismo? A ira? A Inveja? A murmuração? A contenda” Não! Todos estes pecados foram resultado da incredulidade! A falta de fé desse povo, e note que foi um povo que viu milagres tremendo. “Vemos, pois, que não puderam entra por causa da incredulidade” (Hebreus 3: 19).
    Canaã representa um lugar de repouso, alegria, paz, frutos, segurança, satisfação, plenitude. O resto, não passa de um deserto, uma miragem. Pois a nossa verdadeira pátria esta no céu, e, esse é o anseio do verdadeiro cristão, talvez não seja o desejo da massá: “Esforcemo- nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, seguindo o mesmo exemplo de desobediência” (Hebreus 4: 11).
     Graças a Deus eu tive o privilégio de conhecer alguns crentes que embora vivessem neste mundo e passavam por grandes lutas, eles entravam constantemente no descanso do Senhor. Crentes inesquecíveis! Inabaláveis em sua fé, eles tinham um segredo! Aprenderam a descansar na sobra do Onipotente, diariamente se abrigavam no esconderijo do Altíssimo. Crentes no estilo Jó, mesmo diante de tantos problemas e dificuldades entravam no descanso do Senhor. Por quê? Porque eles criam nas promessas eternas do Senhor: “Eu sei que tudo podes; nenhum dos teus planos pode ser impedido” (Jó 42: 2). Para mim isso é entrar no descanso do Senhor aqui neste mundo! O Senhor cuida de nós, quando lhe somos fiéis. Portanto! Nossa travessia pelo deserto desta vida tem um alvo um objetivo, entrar no descanso eterno, para vivermos eternamente com aquEle que nos comprou com um preço muito alto, a saber o Senhor Jesus Cristo!
      É vital para nós que cresçamos. Não só em números, mas principalmente na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. Crentes no estilo Jó: “Com os ouvidos eu ouvira falar de ti, mas agora te veem os meus olhos” (Jó 42: 5).
      Amado! Somos peregrinos em terra estranha, mas, nós podemos experimentar do descanso do Senhor aqui neste mundo. Você quer entrar no descanso do Senhor? Lembre- se! Você só ira entrar no descanso do Senhor quando começar a crer em suas promessas, pois elas são eternas. “Visto, pois, que resta que alguns entrem nele e que aqueles a quem primeiro foram pregadas as boas- novas não entraram por causa da desobediência” (Hebreus 4: 6).
       Não vamos ficar de fora destas promessas. Em nome de Jesus tome posse desta palavra. Hoje as coisas talvez não estejam boas para você, como não esta sendo neste momento para mim. Mas a Bíblia nos ensina que há um lugar de repouso em meio às batalhas dessa vida. Breve! Muito breve nossa peregrinação chegará ao fim, estaremos vivendo em nossas moradas tranquilas ao lado daquEle que prometeu que nos levaria com Ele. Portanto! Descanse o seu coração nEle. Creia! “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo- ló teria dito, pois vou preparar- vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também” (João 14: 1- 3).  Pastor Elias Fortes.  

Um comentário:

  1. È de se admirar ver tantas palavras tão acertada graças a Deus existem quem tem bons entendimentos, para conhecer um Deus verdadeiro assim. Alicio Silva.

    ResponderExcluir