LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 27 de dezembro de 2014

OS QUE ESTÃO NOS SEPULCROS OUVIRÃO A SUA VOZ E SAIRÃO.

É muito comum nos dias atuais, ouvirmos: “Quando eu morrer tudo estará acabado”. “Porque não morro logo”. Será a morte a solução final para os nossos problemas? Através dessa mensagem você descobrirá que a morte será o pior pesadelo para milhares de almas impenitentes. E será o inicio de grande alegria para aqueles que viveram e morreram em Cristo.
     Deus fez o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. Quando o vento cessa, o pó cai em casa, na rua, no hospital. O homem te uma caminhada transitória neste mundo. Nossa vida aqui é como a neblina que logo se dissipa. “Ora, não sabeis o que acontecerá amanhã. O que é a vossa vida? È um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece”. (Tiago 4: 14). Portanto! É insensatez confiar no braço da carne. Não podemos colocar nosso refugio naquele que é pó. Maldito é o homem que confia no homem. Jamais podemos confiar em nossa força ou sabedoria. Mas, em Deus; pois, em todas as épocas o homem tem ouvido esta sentença: “... porque tu és pó e ao pó tornarás”. (Genesis 3: 19).
      Desde que o pecado entrou no mundo e a morte pelo pecado, esta terra tem sido um vasto cemitério para seus filhos. Um exército muito extenso: crianças que apenas mal conheceram nosso mundo e depois partiram para um mundo desconhecido; a mocidade esbanjando saúde, no auge do vigor físico, a meia- idade com toda a sua experiência de vida, os idoso que tiveram uma jornada longa na vida; meu Deus. Que vasta e surpreendente multidão!
      Não há nenhum ser humano poderoso, autossuficiente, capaz de ficar de pé estribado no bordão da autoconfiança. A Bíblia diz que Deus conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.  Um após o outro, em rápida sucessão estão caindo, naquele lugar designado a todos que vivem. Sim! Em algumas horas fatais, pelas armas, por um acidente de carro, por desastres naturais, por uma enfermidade. Milhares de vidas, que tiveram o fio da vida cortado e foram imediatamente limpos e deixados em enorme e promiscua mortandade. “Pois ele conhece a nossa estrutura, e se lembra de que somos pó”. (Salmos 103: 14).
      “Quando a morte chegar, tudo estará acabado”. Que terrível engano! Jesus Cristo alertou: “Vem à hora em que todos os que estão nos sepulcros”, sem exceção, “ouvirão a sua voz [do Filho de Deus], e {...} sairão”. (João 5: 28, 29).
      “... Sairão...”. Diz as Escrituras, para propósitos diferentes: uns para: “a ressurreição da vida”; e outros para: “A ressurreição da condenação”.
1) A RESSUREIÇÃO DA CONDENAÇÃO:
Quão terrível será para aqueles que achavam que a morte selaria o fim de todas as coisas. Naquele terrível dia irão descobri que sairão para a condenação, pois fizeram o mal.
      Quando o som da trombeta tocar, multidões são chamadas dos sepulcros para comparecer diante do tribunal, e tiradas da prisão por guardas angelicais para sofrer o ultimo julgamento. Que terror será o som desta trombeta para os impenitentes. Agora eles veem aquele tremendo dia do qual foram avisados em vão, e estremecem diante dos terrores dos quais fizeram pouco caso. “Mas eu vos mostrarei a quem deveis temer: Temei aquele que depois de matar tem poder para lançar no inferno. Sim, digo- vos, a esse temei”. (Lucas 12: 5).
      Ao som da trombeta a alma torna ao corpo que outrora era um templo de prazeres, alegrias momentâneas, onde cultuava os vícios, o sexo e a violência. Os olhos que contemplaram a beleza da natureza, ouvidos que se deliciaram a harmonia dos sons, bocas que degustaram as delicias da culinária, línguas que foram usadas para escárnio, queixas, blasfêmia e palavras torpes. Os pés que outrora andavam nos caminhos floridos do pecado. Mas, que agora encontram- se no maior terror e agonia. O corpo que outrora era instrumento de prazer, agora torna- se um instrumento de castigo, pois nunca continha os membros de serem os instrumentos da justiça. Os joelhos não se dobraram diante do trono da graça. Não deram ouvido aos verdadeiros Atalaias do Senhor, antes tiveram prazer e coceiras nos ouvidos, seguindo as palavras de paz, prosperidade e felicidade dos falsos mestres e falsos profetas, blasfemando do caminho da verdade e zombando da vinda de Cristo:  “... Onde esta a promessa da sua vinda? Desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o principio da criação”. (2 Pedro 3: 4).
      Os olhos foram fechados e ouvidos surdos ao chamamento do Evangelho. Agora com o novo corpo miserável, comparece diante do juiz de toda terra, o corpo sai do sepulcro para se juntar a alma novamente, para estar diante do juiz para ouvir a sentença: “Aparta- te de mim maldito”. (Mateus 25: 41).
       Agora com todos os sentidos aguçados (O rico reconheceu Abraão que havia morrido 700 anos antes. Lucas 16: 23), vê com horror o trono ardente a face carrancuda do justo juiz. Em sua mente vêm as lembranças de quantas oportunidades de salvação que ele rejeitou, e desprezou a tão grande salvação. “como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi- nos depois confirmada pelos que a ouviram”. (Hebreus 2: 3). Com a visão, audição, olfato, tato e paladar funcionando 100%, o corpo é ressuscitado, e será agora a sua eterna prisão, lhe é ordenado a se juntar com o ladrão que estava à esquerda de Jesus, junto outros criminosos trêmulos para encarar os olhos em chamas de Jesus que pede para o impenitente se aparte da sua santa presença e se junte com o diabo e seus demônios. Naquele terrível dia. A alma miserável tomara posse da estrutura preparada para o fogo eterno.
      Hoje é o dia aceitável, a porta da graça esta escancarada para aqueles que quiseram ter uma ressurreição para a vida eterna.  Sim! Hoje é o dia de acordar, da falsa segurança e preparar- se para a morte e o julgamento, pois: “Todavia, o homem, que apesar das suas riquezas, não permanece; antes, é como os animais que perecem”. (Salmos 49: 12). Não desperdice o seu tempo com coisas vãs, leve a sério a tua vida e a tua morte em Cristo. Pois, no toque da trombeta, seu corpo ressuscitará ou para a condenação eterna ou para vida eterna. Quando o Juiz Todo- poderoso pronunciar a sentença, ela é imediatamente executada. “Estes irão para o castigo eterno”. Os demônios os arrastam para o inferno, e os empurram com força para baixo. Lá, eles são confinados em cadeias de trevas, e num lago que queima com fogo e enxofre, para sempre! “Onde o seu verme não morre, e o fogo nunca se apaga. Cada um será salgado com fogo”. (Marcos 9: 48, 49).
     Os que fizeram o mal. Sim! Os que desprezaram a Cristo e o seu Evangelho, estarão conscientes que são culpados, trêmulos ouvirá do Juiz Supremo, na majestade severa e justiça inexorável, troveja a sentença terrível: “Apartai- vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. (Mateus 25: 41). Esse será o terrível destino de todos os que praticam a impiedade. O mundo está morrendo à sua volta, enquanto milhares de almas impenitentes estão totalmente despreparados para eternidade. Melhor é obedecer a gentil chamada do Evangelho, do que ouvir o terrível alarme da ultima trombeta!
2) RESSURREIÇÃO PARA VIDA ETERNA.
      Esta chegando o grande dia em que os que estão nos sepulcros ouvirão a voz do Filho de Deus que significa o som da trombeta. Esta chamada despertará os inquilinos dos sepulcros. Os que ressuscitam para ressurreição da vida sairão dos sepulcros e terão os seus corpos incorruptíveis. “Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao soar a ultima trombeta. Pois a trombeta soará, e os mortos ressurgirão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. (1 Coríntios 15: 51, 52).
      Antes que os vivos sejam arrebatados nas nuvens para o encontro do Senhor nos ares. Os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro e os vivos serão transformados, são todos aqueles que estão: “Aguardando a bem- aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus”. (Tito 2: 15).
      Naquele grande dia! Nosso Deus onisciente coletará, distinguirá e ira compor átomo a seu átomo, osso a seu osso, ao som da trombeta, serão coletados onde quer que tenham sido espalhados. Haverá um tremendo barulho nos sepulcros, um grande exército se levantará ao som da trombeta: “Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: Fazei entrar em vós o espírito, e vivereis”. (Ezequiel 37: 5).
      O corpo glorificado de Cristo será o padrão segundo o qual nosso corpo será formado. “Mas a nossa pátria está nos céus, de onde esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo de humilhação, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas”. (Filipenses 3: 20, 21). Glória ao nosso Deus. O corpo dos santos será glorioso, incorruptível, sem as sementes da doença e da morte, pois, o seu pó e o meu serão reanimados e organizados. “Eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus”. (Jó 19: 25. 26).
      O corpo será substancialmente o mesmo; mas muito diferente em qualidade, em força, em agilidade, em capacidade ao prazer, em beleza, em glória. “Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia- se o corpo em corrupção, é ressuscitado em incorrupção. Semeia- se em ignomínia, é ressuscitado em glória. Semeia- se em fraqueza, é ressuscitado em poder. E agora digo isto, irmãos, que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção. Pois convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade”. (1 Coríntios 15: 42, 43, 50, 53).
      Ao toque da trombeta, o espírito do justo dará as boas- vindas a seu antigo companheiro do longo sono no pó. Sim! O corpo que outrora sentiu dor, perseguições, escárnio, falsas acusações, enfermidades, tragédias e tristezas. Mas, agora todas as suas faculdades transbordam de felicidade. Conhecerão a todos e serão conhecidos. Nesse corpo glorioso multidões de santos. “a qual ninguém pode contar”. (Apocalipse 7: 9). Criaturas ilustres formadas do pó que agora tiveram os seus corpos ressuscitados para a gloriosa ressurreição da vida. Que dia glorioso será, o dia em que o Senhor e Salvador Jesus Cristo dará as boas- vindas: “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possui por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. (Mateus 25: 34).
     Jamais temerão nem sentirão o menor toque de tristeza, dor ou qualquer tipo de miséria, mas serão tão felizes, na gloriosa companhia dos anjos; veem o Salvador, a quem, não vendo, amavam; habitam em intimidade eterna com o Pai dos espíritos; servem- se de delicias sempre novas e crescentes nos sublimes serviços do santuário divino, eles “resplandecerão como resplendor do firmamento, [...] como as estrelas, sempre e eternamente”. (Daniel 12: 3).
     O corpo que outrora era frágil e mortal, no qual estava encarcerado e enfraquecido, outrora sua tentação, maculado com as sementes do pecado, agora seu assistente e sócio nos assuntos do céu, agora vigoroso, incorruptível e imortal, agora livre de todas as misturas corruptas e brilhando em toda a beleza da santidade perfeita. Naquele dia glorioso, os santos irão glorificar a Deus por cada oração feita naquele corpo que outrora era mortal, os momentos em que meditaram na Palavra, nas perseguições por amor a Cristo, no carregar a cruz, nos momentos que adoraram a Deus em Espírito e em verdade. Quanto se regozijará ao reentrar na sua antiga habitação, agora tão inteiramente restaurada e altamente aperfeiçoada. “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”. (1 Coríntios 2: 9).
     Quando aquele dia chegar, as multidões adormecidas sairão dos sepulcros. “Os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação”.  Louvado seja Deus, por que hoje nós temos um advogado! “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”. (1 João 2: 1).
    Amigo! No toque da trombeta, teu corpo ressuscitará para a ressurreição da vida ou para a ressurreição da condenação? O Juiz Todo- poderoso será seu amigo ou será o seu inimigo? Pastor Elias Fortes.

    
  


Nenhum comentário:

Postar um comentário