LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

SACERDÓCIO REJEITADO X SACERDÓCIO APROVADO


A Bíblia Sagrada, nos fala de dois sacerdócios que iriam se desenvolver, e continuariam desde o Antigo Testamento até o fim dos tempos, é bom você ficar atento, pois, estes dois ministérios estão sendo ministrados agora mesmo nas Igrejas. Somente através de um exame minucioso das Escrituras e com a ajuda do Espírito Santo, conseguiremos identificar os dois tipos de ministérios que esta atuando nas igrejas! O ministério rejeitado x ministério verdadeiro. Vejamos estes dois sacerdócios em ação!
    Primeiro: o sacerdócio rejeitado: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oseias 4: 6). Esse é um quadro do ministério rejeitado, maldito e abominável encalacrado em nossas igrejas nos dias de hoje.
    Vejamos na “lupa” do Espírito, este ministério em ação! Um profeta de nome ignorado foi até Eli e lhe trouxe uma tremenda mensagem: “Eis que vêm dias em que cortarei o teu braço e o braço da casa de teu pai, para que não haja mais velho algum em tua casa” (1 Samuel 2: 31). Este profeta descreve com exatidão o ministério desenvolvido pelo profeta Eli, um sacerdócio fundamentado em agradar ás pessoas, mais que a Deus. “Por que dais coices contra o sacrifício e contra a minha oferta de manjares, que ordenei na minha morada, e honras a teus filhos mais do que a mim, para vos engordardes do principal de todas as ofertas do meu povo de Israel?” (1 Samuel 2: 29).
    Eli era um sacerdote condescendente com o pecado. Não corrigia nem os próprios filhos, seus dois filhos estavam comentendo prostituição, estupro de mulheres, mas a única coisa que Eli falou para eles foi: “Por que fazem isto?”. Por isso a Bíblia nos ensina: “que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos sob disciplina, com respeito” (1 Timóteo 3: 4).
     Infelizmente, há congregações inteira entregue aos prazeres. Metade dos membros divorciados, em meio à prostituição e adultério, com os adolescentes se tatuando e dormindo fora, e as crianças desgovernadas. Neste tipo de igreja, jamais se ouvira uma palavra de reprovação, amam apenas os prazeres ao esporte e ao entretenimento, esse é o sistema do ministério empregado por Eli. Sacerdotes que estão interessados mais em suas próprias necessidades e, em seu conforto, do que nas necessidades do rebanho. “... para... vos engordades das melhores de todas as ofertas do meu povo de Israel” (1 Samuel 2: 29).
      Nesta época as pessoas traziam a oferta de carne para o sacerdote, ela devia ir para o caldeirão e ser fervida. Mais tarde, o sacerdote mergulhava um gancho de três pontas no caldeirão, e o que viesse no gancho ia para sua mesa. Os filhos de Eli não queriam a carne fervida e encharcada. Queriam o filé mignon vermelho e mal passado! Eles levavam para o pai o supra- sumo da costela de carne. Não havia carne ensopada na mesa de Eli. Foi assim que ele foi ficando gordo, preguiçoso, descuidado. Se repreendesse os seus filhos certamente perderia o seu filé mingnon. Não é exatamente isso que esta acontecendo em muitas igrejas? Pastores que só se preocupam com o seu próprio conforto, não estão nem ai com a saúde espiritual de suas ovelhas. Eles tapam os ouvidos para a Palavra do Senhor que diz: “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas, e cuida bem dos teus rebanhos” (Provérbios 27: 23). É o ministério do “carnezinho”, da “super oferta”, deposite 100 e ganhe 1000. É o abominável leilão espiritual, para aumentar a renda contam ainda com a venda de suvenirs. O dizimo e as ofertas passam a ser a “mordaça” desses ministros, não podem falar contra o pecado, pois podem perder as suas “mesadas”.
     Esse tipo de ministério, esta mais preocupado com o que entra na mesa e no gasofilácio, do que entra no coração das pessoas. Mas Saiba que este tipo de sacerdócio enfrentará três terríveis julgamentos:
Primeiro: Perda de todo poder e de toda autoridade espiritual. “...os que me desprezam serão desmerecidos. Eis que vêm dias em que cortarei o teu braço e o braço da casa de teu pai...” (1 Samuel 2: 30- 31). “Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho! Caia a espada sobre o seu braço e sobre o seu olho direito! Que o braço completamente se lhe seque, e o olho direito de todo se escureça” (Zacarias 11: 17). Esse tipo de sacerdócio, esta sem a visão espiritual, e sem a autoridade de Deus.
Segundo: Será atropelado pela genuína unção e bênção de Deus nos últimos dias. “E verás o aperto da morada de Deus, em lugar de todo o bem que haverá de fazer a Israel...” (1 Samuel 2: 32). Em essência esta dizendo: “quando Eu escolher o tempo para o derramamento do meu Espírito, você estará em ruínas!”. O modelo de ministério de Eli será deixado para trás, para brincar de igreja. Haverá apenas barulho nessas igrejas, mas nenhuma unção e nenhum poder. Lembre- se que: “Carroça vazia, só faz barulho”.
Terceiro: Perderá o toque de Deus bem na flor da idade. “Todos os descendentes da tua casa morrerão na flor da idade” (1 Samuel 2: 33). Podemos ver este versículo de duas maneiras. De modo literal, quando Saul enviou Doegue para Nobe para matar oitenta e cinco sacerdotes que eram da semente de Eli. E de uma aplicação espiritual. Esse sacerdócio vai parecer bonito até certo ponto, com ministros ativos e ocupados, mas devido à falta de autoridade, estarão apenas ocupando cargos, pois estão mortos espiritualmente, na flor da idade.
    A parte mais trágica dessa profecia é que este sacerdócio desviado e compromissado com o mundo jamais seria afastado dos altares de Deus! O ministério do sacerdócio rejeitado continuará até o fim: “O homem, porém, da tua linhagem a quem eu não afastar do meu altar será para te consumir os olhos e para te entristecer a alma...” (1 Samuel 2: 33). Ouça! Deus não os afastará! Homens mortos do tipo que fazem concessões com o pecado, e tem sede do poder terreno e financeiro, eles existirão até o ultimo dia quando o Senhor voltar. Mas, Deus diz: “Que tremenda lástima eles vão ser! Serão motivo de pranto e choro!”.
   “Tens lá contigo Zadoque e Abiatar, sacerdotes” (2 Samuel 15: 35). Através de uma leitura acurada, vemos que enquanto Zadoque foi fiel até o fim a Davi, Abiatar pegou outro caminho. Abiatar que significa: “em paz com Deus”, na flor da idade e no ápice das bênçãos, foi seduzido pelo chamado ao sucesso, e por este motivo ele perdeu o seu lugar entre os ungidos de Deus. Abiatar tinha em si o espírito de Eli. Quando Adonias disse cheio de exaltação e orgulho “Serei rei”: “Então Adonias... se exaltou...” (1Reis 1: 5). Assim como o sacerdote Eli que nunca contrariou os seus filhos, Adonias também jamais foi contrariado pelo seu pai. “Seu pai jamais o havia contrariado, dizendo: Por que fizeste assim? Além disso, era ele muito formoso de parecer, e sua mãe o havia gerado depois de Absalão” (1 Reis 1: 6).   
    Adonias se cercou de homens ímpios! “Teve Adonias entendimento com Joabe, filho de Zuria, e com Abiatar, o sacerdote, que lhe deram o seu apoio” (1 Reis 1: 7). Esse grupo se encontrava na “pedra de Zoheleth”, que significa “Lugar da serpente”. Quando o ministério de Eli passa a funcionar na igreja, os grupos de serpentes estão ali em volta do altar contaminado e rejeitado, prejudicando os justos. Esses grupos de rebeldes fazem parte de um sacerdócio rejeitado. Esse movimento novo criado por Adonias conquistou Abiatar. Sucesso e prosperidade. Esse movimento fez com que Abiatar ficasse preso a um trabalho carnal e ímpio de Satanás. E se juntou aos outros junto à pedra de Satanás comendo, bebendo e gritando: “Viva o rei Adonias!”.  É esse mesmo grupo que transforma pastor, em ídolo.
    Não é exatamente esse tipo de sacerdócio que nós temos visto em muitas igrejas? Você se lembra do que o profeta dissera sobre o ministério de Eli- Abiatar? Jamais seria extinto! “Expulsou, pois, Salomão a Abiatar, para que não mais fosse sacerdote do Senhor, cumprindo, assim, a palavra que o Senhor dissera sobre à casa de Eli, em Silo” (1 Reis 2: 27). É com muita tristeza que vemos o sacerdócio dos abiatares em ação em muitas igrejas, hoje a carta de recomendação já não é mais necessária, na maioria das igrejas elas foram extintas, tornado- se alvos fáceis para o sacerdócio de Eli- Abiatar. Muitos não estão executando a ordem do Senhor em seus altares. “Disse- me o Senhor: Filho do homem, pondera no teu coração, e vê com os teus olhos, e ouve com os teus ouvidos, tudo o que eu te disser de todos os estatutos do templo do Senhor, e de todas as suas leis. Considera no teu coração a entrada do templo, com todas as saídas do santuário” (Ezequiel 44: 5). Em essência Deus estava dizendo a Ezequiel: “Ponha- se na minha casa e observe os que entram e os que saem. Discirna as atividades que acontecem aqui. É abominação! Estão trazendo estranhos e estrangeiros para dentro da minha casa para profanar!”. O que falar dos ministros mortos que tem trazido para os altares o rock and roll, roda de pagodes, cantores que usam drogas, álcool, que tem prazer em mostrar as suas tatuagens, piercings e seu estilo anarquista, eles nem conhecem a Deus. Essas pessoas ministram do púlpito, com sua linguagem cheia de gíria deixando de lado Tito 2: 8, por puro entretenimento, o mais triste, é que, as pessoas nem notam a diferença do santo e do profano! “Não cumpristes as prescrições a respeito das minhas cousas sagradas; antes, constituístes em vosso lugar estrangeiros para executarem o serviço no meu santuário” (Ezequiel 44: 8).
    Por isso Deus estabeleceu o sacerdócio do tipo de Abiatar para ministrar junto à pessoas cujos corações se inclinam aos ídolos, cuja a mensagem é, sucesso e prosperidade, sua orações é do tipo Abiatar: “Abençoe- me, abençoe as minhas programações, me dê dinheiro...”. “Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote...” (Oséias 4: 9a). Que terrível é o sacerdócio de Abiatar, mas Deus adverte: “Contudo, eu os encarregarei da guarda do templo, e de todo o serviço, e de tudo o que se fizer nele” (Ezequiel 44: 14). O sacerdócio rejeitado de Abiatar é mais chegado do povo, do que de Deus. “Não se achegarão a mim, para me servirem no sacerdócio, nem se chegarão a nenhum de todas as minhas coisas sagradas, que são santíssimas, mas levarão sobre si a sua vergonha e as suas abominações que cometeram” (Ezequiel 44: 13). Nesse sacerdócio rejeitado, muitos ministros pregam, ensinam, aconselham cumprem todos os deveres ministeriais. Mas, não sabem a diferença! Não possuem discernimento, não possuem o testificar do espírito, o altar esta cheia de carne morta, não há mais purificação, apenas o mau cheiro do sangue e da carne. “Tanto o profeta como o sacerdote estão contaminados; até na minha casa achei a sua maldade” (Jeremias 23: 11).
   
    Segundo: o sacerdócio aprovado: “Então, suscitarei para mim um sacerdócio fiel, que procederá segundo o que tenho no coração e na mente; edificar- lhe- ei uma casa estável, e andará ele diante do meu ungido para sempre” (1 Samuel 2: 35). Louvado seja Deus por este modelo de sacerdócio. O sacerdócio de Zadoque! Trata- se de um ministério constituído de ministros fiéis e santos de Deus, que andam e vivem segundo o desejo dEle, Este sacerdócio esta em ação em muitas Igrejas hoje.
    Davi possuía dois sacerdotes que cumpririam estes sacerdócios proféticos: “Tens lá contigo Zadoque e Abiatar, sacerdotes” (2 Samuel 15: 35).
    Zadoque foi o primeiro sacerdote jovem a reconhecer a unção de Deus sobre Davi “São estes os que vieram a Davi, a Ziclague... (e) Zadoque, sendo ainda jovem, homem valente, troxe vinte e dois príncipes de sua casa paterna” (1 Crônicas 12: 1, 28). Zadoque significa “aquele que provou ser justo”, ele reconheceu que o Espírito havia deixado Saul; e que seu ministério estava todo extravagante, carnal, sem nenhum chamado ou toque dos céus. E zadoque disse: “Não quero ser parte deste tipo de ministério. Ele esta morto... Deus o deixou. Vou com Davi, que possuía a unção do Espírito”.
    Zadoque foi até Davi em Ziclague, e nunca mais o abandonou, permaneceu fiel a ele até o fim da sua vida. Mesmo diante da revolta de Absalão Zadoque permaneceu com o rei Davi. “Eis que Abiatar subiu, e também Zadoque...” (2 Samuel 15: 24). Louvado seja Deus por ter homens assim em nossas igrejas, homens fiéis a Jesus, de oração, que abandonaram a carne, o entretenimento, o mundanismo e o materialismo desenfreado. Enquanto o mundo inteiro caminha para o inferno em meio a perversidades sem conta, Deus ainda possui seus homens santos servindo em seu altar do tipo Zadoque.
   Ezequiel profetizou que um sacerdócio do tipo de Zadoque estaria vivo e ativo nos últimos dias: “Mas os sacerdotes levitas, os filhos de Zadoque, que guardaram a ordenança do meu santuário, quando os filhos de Israel se extraviaram de mim, chegar- se- ao a mim, para me servirem, e estarão diante de mim, para me oferecerem a gordura e o sangue, diz o Senhor Deus. Eles entrarão no meu santuário e se chegarão à minha mesa, para me servirem, e guardarão a minha ordenança” (Ezequiel 44: 15- 16).
   Esse tipo de sacerdócio não aceitará mistura: “... Usarão vestes de linho; não se porá lã sobre eles, quando servirem...” (Ezequiel 44: 17). Lã mesclada com linho representa mistura: um pouquinho de Deus e um pouquinho da carne, mas o sacerdócio do tipo Zadoque será destemido contra o pecado, e possuirão poder para levar as pessoas à justiça e à santidade. “A meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro” (Ezequiel 44: 23).
    Através do exame acurado das Escrituras você verá que o sacerdócio do tipo Zadoque não tem medo de repreender com o poder e autoridade do Espírito Santo, esse tipo de sacerdócio deixa claro para você qual é o certo e o errado, até que você ganhe o conhecimento e a sabedoria para fazer a escolha certa, são ministros que conhecem a voz do Senhor. Sabem o que Deus diz, porque se assentam e esperam nEle! Esse tipo de sacerdócio jamais vai orar pedindo sucesso e prosperidade, jamais vão “vender” Jesus por dinheiro, pois sua confiança esta no modelo do apostolo Paulo: “Sei passar necessidade, e também sei ter abundancia. Em toda maneira, e em todas as coisas aprendi tanto a ter fartura, como a ter fome, tanto a ter abundancia, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece” (Filipenses 4: 12- 13).
   Ouça! Esta palavra é para nós, para todo o corpo de Cristo, pois, nós somos o sacerdócio de Deus: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chama das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2: 9). Todo aquele que se chama pelo nome de Deus deve ser sacerdote para o Senhor: “e nos fez reino e sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele seja glória e poder para todo o sempre. Amém” (Apocalipse 1: 6).
     Quando você se torna um sacerdócio do tipo Zadoque, jamais conseguirá conviver com ministério do tipo Eli- Abiatar, pois o cheiro da carne te dará náuseas. Pergunto para você! No teu caminhar com Deus qual é o tipo do seu sacerdócio? O sacerdócio do tipo Eli, aquele que não tem autoridade, e nunca se manifesta contra o pecado, que fica sentado esperando a tragédia? Ou é do tipo Abiatar, que muda de lado rapidamente, basta um movimento estranho, principalmente se neste movimento tem barulho, sucesso e prosperidade.
      Se você faz parte do ministério de Eli- Abiatar, e esta agarrado a ídolos no interior de seu coração, com certeza você ira acabar ouvindo um ministro que prega para a sua idolatria, aquele que irá fazer coceira nos seus ouvidos. “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo coceira nos ouvidos, cercarse- ao de mestres, segundo as suas próprias cobiças; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando às fábulas” (2 Timóteo 4: 3- 4). Ouça! Se você faz parte do ministério Eli- Abiatar, só lhe reta uma coisa a fazer; arrepender- se, e retornar rapidamente para Deus de todo o teu coração. “Convertei- vos, ó filhos rebeldes, diz o Senhor, pois eu vos desposarei, e vos tomarei, a um de uma cidade, e a dois de uma geração, e vos levarei a Sião. Dar- vos- ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e com inteligência” (Jeremias 3: 14- 15). Que o Espírito Santo nos ajude a sermos sacerdótes do tipo Zadoque, até a volta do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo! Pastor Elias fortes

Um comentário:

  1. Parabéns pastor Elias continue assim Deus é contigo

    ResponderExcluir