LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 16 de agosto de 2014

AS DORES DE PARTO

Deus unge homens e não métodos! Nós estamos á procura de métodos melhores, e Deus está à procura de pessoas melhores. Laboramos em erro quando pensamos que a obra de Deus depende da nossa destreza em criar métodos. Falhamos quando cultivamos apenas a cultura da cabeça e nos esquecemos da cultura do coração. De nada adianta ter luz na cabeça sem fogo no coração.
    Hoje, há orgulho nos púlpitos, não tristeza pelo pecado. Poucos ministros demonstram agonia ou derramam lágrimas por ver a apostasia entre os crentes. È trágico que tantos pastores tenham perdido a unção do Espírito Santo e estejam se dedicando apenas a construir suas próprias reputações. Sua preocupação não é o bem- estar das ovelhas, mas o financiamento de seus sonhos dispendiosos. Nos dias de hoje é comum ver os púlpitos sendo liberados para o “poder político”, deixando de lado o poder de Deus.
    Podemos ter a cultura dos eruditos e a eloquência dos anjos, mas sem a unção do Espírito Santo, não podemos fazer a obra de Deus efetivamente. Precisamos voltar à essência da Palavra, pois, nela encontraremos um homem que possuía coração de pastor. O apostolo Paulo, estava sempre em agonia pelo crescimento espiritual das ovelhas de Cristo. “meus filhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até ser Cristo formado em vós”. (Gálatas 4: 19).
    Havia uma chama queimando no coração daquele pastor. O coração de Paulo ardia pelas almas. “Porque zelo por vós com zelo de Deus; visto que vos tenho preparado para vos apresentar como virgem pura a um só esposo, que é Cristo”. (2 Coríntios 11: 2).
     A única preocupação desse pastor era ver o crescimento espiritual das ovelhas: “... orando noite e dia, com o Maximo empenho, para vos ver pessoalmente, e reparar as deficiências da vossa fé?”. (1 Tessalonicenses 3: 10).
   Lutero dizia que um sermão sem unção endurece o coração. Não basta pregar; precisamos ser boca de Deus. Uma coisa é proferir a Palavra de Deus, outra coisa é ser boca de Deus. O apostolo Paulo era a boca de Deus para a igreja, com ele, podemos aprender como ser um pastor verdadeiramente amoroso. Em sua suas cartas, o apóstolo induzia as ovelhas à santidade e ao desejo por mais de Jesus: “Por isso também não cessamos de orar por vós... a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja glorificado em vós, e vós nEle...” (2 Tessalonicenses 2: 7, 11). Esse pastor amoroso não queria o dinheiro dessas pessoas, pelo contrario! Ele evitava tornar- se um fardo para elas: “era labor e fadiga, de noite e de dia, trabalhamos, a fim de não sermos pesados a nenhum de vós...” (2 Tessalonicenses 3: 8). Paulo tinha direito a receber salário da igreja, mas preferiu sustentar- se pelas próprias mãos. Recusou vestir “o manto da cobiça” porque o Evangelho lhe havia sido confiado. O alvo de seu ministério resume- se neste verso: “A fim de que sejam os vossos corações confirmados em santidade, isentos de culpa na presença de nosso Deus...” (1 Tessalonicenses 3: 13).
    Sem santidade nós sufocamos e morremos lentamente, pois é a santidade que abre uma avenida na nossa vida espíritual, onde Deus pode percorrer por ela. Sem santidade, o bastão profético não ressuscita os mortos. Nas mãos dos Geazis modernos o bastão profético não irá fazer nenhuma diferença. Se quisermos ver os meninos mortos se levantando da morte espiritual, precisamos agonizar em oração como fez Elizeu. “meus filhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até ser Cristo formado em vós”.
    As “contrações” da igreja esta aumentado a cada dia. Infelizmente, muitos ministros têm contribuído para esse aumento. Optaram por minimizar a verdade sobre renúncia, criando uma geração de crentes fracos, irresponsáveis e pedintes, incapazes de compreender o que significa separar- se do mundo. Misturam tanta coisa mundana em suas mensagens, que levam os crentes a encarar a maldade sem se envergonharem. Em consequência, a corrupção no meio evangélico tem chocado o mundo.
    Precisamos regar o solo com nossas lágrimas se quisermos voltar com os frutos da nossa semeadura. O apostolo Paulo declarou: “... tenho grande tristeza e incessantemente dor no coração; porque eu mesmo desejaria ser anátema, separado de Cristo, por amor de meus irmãos...”. (Romanos 9: 2, 3).
    Há pregadores que não fazem menção da cruz; nenhuma doutrina sobre sofrimento, arrependimento, ódio ao pecado, separação ou purificação; nenhuma chamada para entrega incondicional ao domínio de Cristo; nenhuma morte diária interior ou crucificação das concupiscências carnais; nenhum aviso da perseguição vindoura ou do julgamento iminente. Muitos desses líderes esqueceram que, os grandes homens de Deus foram homens de lágrimas. A dor é maior quando vemos muitos cristãos preferindo ouvir sobre seus direitos, mas ignorando que Cristo tem direitos sobre nós. Em Apocalipse 12: 2, lemos: “Ela estava grávida e gritava com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz”.
     No jardim do Éden, satanás ouviu quando Deus lhe disse que a semente da mulher esmagaria sua cabeça. Daquele dia em diante, satanás tem tentado destruir a semente prometida, a mulher (a nação de Israel e o povo judeu), têm um inimigo implacável. O maior anti- semita de todos os tempos, satanás. O anti- semitismo tem suas raízes na mente de Satanás, pois Israel e os judeus foram responsáveis por sua derrota na cruz.  A mulher (Israel) deu a luz a um varão  (Cristo), que há de reger todas nações com vara de ferro. “Então o dragão irou- se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus”. (Apocalipse 12: 17).  Agora você sabe o porquê esta aumentando o ódio aos judeus? Principalmente aqueles que guardam os mandamentos de Deus, e mantém o testemunho de Jesus. Essa é a ultima onda de anti- semitismo que acontecerá na terra. Satanás quer destruir a nação de Israel, particularmente quando se aproxima o momento da volta do Messias a terra para estabelecer o Reino prometido.
    Assim como a mulher grávida têm contrações, e essas contrações vão aumentando à medida que a criança se aproxima para nascer, assim é com a igreja de Cristo. Ao ver a maioria dos cristãos, e até mesmo pastores, surdos ao som da trombeta. Ignorando lamento do guarda, pois a cegueira espiritual dos cristãos se alastrou rapidamente. A dor aumenta, ao saber que muitas igrejas têm abrigado cambista e ladrões. Isaías profetizou: “Como a mulher grávida, quando está próxima a sua hora, tem dores de parto, e dá gritos nas suas dores, assim fomos nós por causa da tua face, ó Senhor!”. (Isaias 26: 17).
    Amados! Quantos de nós, usamos a Cristo para promover ministérios, construir reinados e fazer carreiras! Que Jesus perdoe aqueles que negociam em seu nome. Saiba que aos olhos de Deus, é crime pregar a Palavra sem receber poder para isso. Precisamos entender que a arvore da Vida é mais desejável que a do conhecimento. “... para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado...”. (1 Coríntios 9: 27).
     As contrações irão aumentar conforme o arrebatamento da Igreja se aproxima, os remanescentes fiéis sentirão dor e a tristeza em ver o amor de muitos esfriando, milhares de crentes mornos voltando - se contra a Verdade, seguindo falsos profetas e mestres, que enganarão, alimentando suas concupiscências, seduzidos por doutrinas de demônios, tornando se espiritualmente cegos. Embora sentido “dores de parto”, os remanescentes não irão se calar! “Por muito tempo me calei, estive em silêncio, e em contive. Mas agora darei gritos como a que está de parto, arfando e arquejando”. (Isaías 42: 14).
    Se você tem usado métodos humanos, deixe- os! A escada da fama se torna abominável para nós quando realmente conhecemos a Jesus Cristo. Passamos a considerar todas as coisas como “... refugo”. (Filipenses 3: 8). 
   Amados! Vamos pregar a Cristo mais intensamente. Em nome de Jesus, permaneça puro e caminhe de glória em glória. Fuja da tentação da fama e da pregação política. Que Deus não nos deixe ir além do revelado pelo Espírito, e que a plenitude de Cristo se torne parte de nossa natureza e de nosso caráter.
    Crio que assim como eu, muitos servos do senhor não encontram palavras na oração, apenas choram e gemem na presença do Senhor, por ouvirmos tantas abominações no altar. As contrações só irão aumentar daqui para frente. Jesus nos assegurou: “Em verdade, em verdade vos digo que chorareis e vos lamentareis enquanto o mundo se alegra. Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria. A mulher quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de nascida a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de ter vindo um homem ao mundo”. (João 16: 20, 21).
    Com o aumento das contrações, maior é a dor e a tristeza, mas quando o Filho de Deus nos arrebatar nos ares em secreto, não haverá mais choro e nem dor. O apostolo Paulo nos alertou: “Quando andarem dizendo: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão”. (1 Tessalonicenses 5: 3).
     O final e o que conta! Vivemos das promessas do Senhor, não pelo que vemos. E se queremos ser fiéis a Deus, não devemos ficar por ai alimentando nossas duvidas. Devemos encorajar- nos diariamente no Senhor Jesus, driblando a incredulidade e rejeitando as mentiras do diabo. Edifiquemos nossa fé na Palavra de Deus, e prossigamos chorando e semeando até o fim: “Vós, porém, amados, edificando- vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo, guardai- vos no amor de Deus...”. (Judas 20, 21). Pastor Elias Fortes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário