LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 30 de julho de 2011

PENSAIS NAS COISAS QUE SÃO DE CIMA

Vivemos os últimos instantes da igreja na face da terra; muito em breve seremos arrebatados para junto do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Embora a Bíblia nos ensine a pensar nas coisas que são de cima: “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” (Colossenses 3: 2). Infelizmente, milhares de crentes estão com os seus pensamentos e preocupações somente neste mundo, muitas igrejas através de suas lideranças, não vivem mais a expectativa do arrebatamento. Transformaram a casa de oração em casa de comércio, “cassinos espirituais” verdadeiros covil de ladrões, são os “modernos empresários da fé”.
        Em um desses cassinos espirituais, o empresário da fé falou. “pastor que não ensina a teologia da prosperidade é um idiota”, Jesus nos alertou sobre essa igreja arrogante dos últimos dias: “Dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta. Mas não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” (Apocalipse 3: 17).
        Nesses cassinos espirituais, ensinam a correr atrás de cura, milagre e prosperidade, estão importando agiotas internacionais da fé, para suas construções de pirâmides (obras mortas). Os cultos de adoração a Deus foram substituídos por “sessões de descarrego”, “shows da fé”, “concentrações de milagres” “campanhas de prosperidade”. Tudo isso acompanhados de seus “patuás ungidos”, e seus livros de “auto- ajuda”.
        Nessas igrejas cassinos, não há preocupação com a santificação, oração, renuncia (negar a si mesmo). A ponto de muitos não acreditarem mais na vida futura e gloriosa com Jesus. E quanto a você? Tem pensado nas coisas que são de cima ou nas riquezas deste mundo? Você crê que na vida futura com Jesus nós iremos conhecer uns aos outros?
     Que no céu, na vida futura e gloriosa que aos salvos foi preparada na glória, haveremos de nos conhecer uns aos outros, é um fatos comprovado nas Escrituras. A Bíblia nos ensina que a morte física da pessoa salva é comparada ao sono: (Atos: 60; Mateus 27: 52 53; João 11: 11, 14; 1 Tessalonicenses 5: 10). Assim como alguém é despertado do sono físico e continua lembrando-se do passado e conhecendo- se uns aos outros como antes, igualmente quando o corpo do salvo, que estava dormindo por causa da morte no seio da terra, for despertado por meio da ressurreição física, no momento da vinda de Cristo, continuará lembrando o passado e conhecendo- se uns aos outros.
     A nossa alma imortal. O nosso espírito é imortal. A alma e o espírito não morrem. O termo sono, descrevendo morte dos salvos, não se refere nem a alma nem ao espírito do homem, pois ambas são imortais: “Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma. Temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mateus 10: 28).
     Se com a morte física, nossa alma e nosso espírito não morrem, logicamente morrendo fisicamente nossa pessoa não perde a consciência, apesar de o corpo material estar dormindo inconscientemente no seio da terra. Se é provado pela Bíblia, que antes da ressurreição do corpo material, nossa pessoa continua consciente, sabendo tudo o que se passa, será bíblico e lógico admitir que depois da ressurreição física, tal consciência continuará existindo. No Futuro nossa alma e nosso espírito irão viver em nosso corpo ressuscitado. Se entre a morte e a ressurreição de nosso corpo, nosso espírito e nossa alma consciente continuará existindo depois da ressurreição física.
     A alma é a vida do corpo. O espírito é a vida da alma. Com a morte física o salvo não perde a consciência, e, a continuidade de sua consciência, é prova irrefutável que na vida futura iremos nos conhecer uns aos outros.
     A consciência do espírito e da alma, depois da morte física, é provada na Bíblia Sagrada.
        Com a morte do corpo a alma não morre. (Mateus 10: 28).
        Para Deus todos vivem. (Lucas 20: 38).
        “Hoje estarás comigo no paraíso”. (Lucas 23: 43).
        Com a morte o espírito não morre, vai para Deus. (Lucas 23: 46; Eclesiastes 12: 7).
        Na hora da morte, Jesus recebe o espírito. (Atos 7: 59).
        Moisés e Elias falaram com Jesus 1. 500 anos após morrerem. (Mateus 17: 3).
        Após a morte física, vamos habitar com o Senhor. (2 Coríntios 5: 8; Filipenses 1: 23).

      Na hora da morte, o espírito e a alma separam- se do corpo, mas não morrem. Continuam vivendo, com plena consciência de si mesmos, com todas as faculdades mentais e atividades, sejam salvos ou perdidos.
      Três nomes descrevem o mesmo lugar onde o salvo ficará aguardando o dia da primeira ressurreição, paraíso, ou seio de Abraão, ou debaixo do altar. Nesse período está em plena consciência, sabendo tudo o que se passa aqui na terra: (Apocalipse 6: 9- 11).
      Em Lucas 16: 19- 31 temos a história do homem rico e Lázaro. Os dois, através da morte física, se separaram de seus corpos, tanto o que morreu salvo, como o que morreu perdido. Lázaro, o que morreu na salvação, foi levado (sua alma) pelos anjos para o seu de Abraão (v. 22). O rico, que morreu na perdição (seu corpo, como o de lázaro, foi sepultado (v. 22), foi para o Hades (v. 23). Lázaro, que estava salvo, o rico, que estava perdido, continuavam perfeitamente conscientes de si mesmos, de tudo que estava ao redor deles e de tudo que acontecia na Terra (v.v. 23- 31).
      Lázaro, que morreu na salvação, não porque fosse doente ou pobre, pois a doença e a pobreza não salvam ninguém, mas porque havia aceitado o plano divino da salvação. Apesar de sua alma estar no seio de Abraão, que é o lugar intermediário dos salvos entre e a ressurreição, Lázaro estava consolado, (v 25).
      Lembre- se que tanto no caso da alma do rico, como a do pobre, uma salva, outra perdida, o espírito de cada um estava nelas, porque o espírito é a vida da alma. O rico nunca tinha visto Abraão (Havia dois mil anos que Abraão havia morrido) pôde agora conhecê- lo e chamá- lo pelo nome. Note que o rico havia morrido na perdição e havia entre ele e Abraão uma barreira intransponível.
     A alma fora de nosso corpo conhece tudo, pois a verdadeira imagem de Deus no homem é o espírito e a alma. A alma é o corpo espiritual e o espírito é a vida deste corpo. Por causa da fraqueza, no nosso corpo material, hoje não podemos ver, conversar, ou reconhecer uma pessoa que morreu há dois mil anos. Depois da morte física, mesmo antes da ressurreição, haverá esta possibilidade, como fica provado pela história do homem rico e Lázaro e pelo incidente ocorrido com as almas embaixo do altar, (Apocalipse 6: 9- 11).
     Com a ressurreição, nosso corpo será transformado em um corpo incorruptível, poderoso, espiritual, glorioso e semelhante ao corpo de Jesus Cristo: (1 Coríntios 15: 42- 44, 49; Filipensses 3: 21; Mateus 13: 43; 1 João 3: 2).
     Infelizmente muitos ricos deste mundo, estarão em tormentos na eternidade “Porque estou atormentado” (Lucas 16: 24), o dinheiro para nada lhe servira neste lugar de horror, as lembrança dos familiares será constante: “Pois tenho cinco irmãos” (Lucas 16: 28). Será neste lugar de tormentos que muitos irão dar valor a pregação, mesmo sendo anunciado por homens supostamente “mal vestidos” (Mateus 3: 4). O rico implorou: “Para que lhes dê testemunho” (Lucas 16: 28). Para esse rico em tormentos, a pregação de Jesus agora passa a ter valor, infelizmente tarde demais “Não junteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntais tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam e nem roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração” (Mateus 6: 19- 21). O rico em tormentos agora clama: “A fim de que não venham também para este lugar de tormento” (Lucas 16: 28). 
      Lembre- se! Caixão não tem gaveta, e em cortejo fúnebre não vai caminhão de mudança! É muito triste ver que muitos “garimpeiros espirituais” estão transformando muitas igrejas em verdadeira serra pelas, estão interessados apenas no ouro e na prata: “As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça" (Tiago 5: 2). Jesus nos advertiu: “O que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma? (Mateus 16: 26).
     Amigo! Você tem pensado nas coisas que são de cima? Não se trata de posição financeira, e sim em aceitar a Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas, pois: “Uns se dizem ricos sem ter nada; outros se dizem pobres, tendo grandes riquezas” (Provérbios 13: 7).
     A igreja caminha rapidamente para o arrebatamento, e Jesus procura uma noiva amorosa e não uma “patricinha gananciosa”, quer pensar em algo? Comece com as coisas que são de cima! “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” (Colossenses 3: 2). Pastor Elias Fortes                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

Um comentário:

  1. Parabéns pelo dias dos pais. Que Deus continue abençoando a sua família.

    ResponderExcluir