sexta-feira, 10 de agosto de 2012

PORÇÃO DOBRADA DO ESPIRITO SANTO

     Ao examinar as Escrituras, algo maravilhoso aconteceu ao    atravessar o "Jordão" e "Navegar em uma viagem missionária com Elias e Eliseu".
      Elias sabendo que era o seu último dia na terra, convidou Eliseu para visitar as cidades de Betel e Jericó. Creio que se tratava de uma “viagem de ensino”. Ao passar o rio Jordão Elias disse a Eliseu: “... Pede- me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti...” (2 Reis 2: 9), sem hesitar Eliseu lhe respondeu: “... Peço- te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim” (2 Reis 2: 9).
     Enquanto iam caminhando, subitamente uma carruagem surgiu no céu e os separou: “Indo eles andando e falando, derrepente um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro, e Elias subiu ao céu num redemoinho” (2 Reis 2: 11). Imediatamente, Eliseu rasgou suas vestes e pôs o manto de Elias nas costas, voltou ao Jordão e fez como Elias havia feito, bateu o manto nas águas e atravessou a seco, assim iniciou o notável ministério pessoal deste jovem profeta.
      Há lições maravilhosas que podemos extrair desta passagem! Uma delas é que Deus deseja realizar coisas cada vez maiores, à medida que as gerações vão se sucedendo. Cada geração deve buscar diante de Deus sua própria experiência com Espírito Santo e com a doação de poder que este concede.
      Sim! Ficamos maravilhados quando lemos sobre Deus abrindo o Mar Vermelho, e dividindo o Jordão para Josué. Creio que da mesma forma, Deus quer nos dar porção dupla do Seu Espírito Santo, para sua Glória. Pois,  Jesus prometeu: “Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço. E as fará maiores do que eu estas, por que eu vou para o Pai” (João 14: 12), em essência Jesus esta dizendo: “Vocês precisam mais da minha unção, do meu poder e da minha autoridade, do que todas as gerações que passaram. E o meu Espírito lhes proverá de tudo que necessitam para vencer”.
      Quando Elias convidou Eliseu para irem a Betel e a Jericó, creio que se tratava de uma viagem missionária, com lições maravilhosas para o Ministério de Eliseu e para nós.
      Betel: Que significa “Asa de Deus”. Betel trazia grande esperança espiritual. Jacó havia oferecido sacrifício ali, porém com o passar dos anos. Jeroboão havia construído um bezerro de ouro nesta cidade, e logo o povo se entregou a idolatria. “Pelo que o rei, tendo tomado conselho, fez dois bezerros de ouro. E disse ao povo: É muito trabalho para vós o subir a Jerusalém. Vês aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito. Pôs um em Betel, e o outro em Dã” (1 Reis 12: 28- 29). O resultado? Uma geração perdida para o ceticismo, para as piadas e zombaria. Não havia nenhuma raiz espiritual em Betel, apenas farra e zombaria: “Então subiu dali a Betel. Indo ele pelo caminho, uns rapazinhos pequenos saíram da cidade, e zombavam dele, dizendo: Sobe, calvo!” Sobe, calvo!”(2 Reis 2: 23).
      Ao passar por Betel talvez Elias tenha dito para Eliseu “Fica- te aqui...”, (2 Reis 2: 6),esse povo precisa de um homem de Deus, mas Eliseu sabia que precisava de poder dobrada para enfrentar esta mal, esta geração perversa, e então Eliseu respondeu para Elias “...Peço- te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim” (2 Reis 2: 6b). Betel representa a nossa atual geração, cheio de zombadores, entregues a luxuria e a idolatria. Uma geração cruel. Este “tempos difíceis” exige que o povo de Deus receba porção dobrada de poder e autoridade.
     Jericó: Que significa “lugar chamado agradável”, porém a cidade estava Arida, seca, totalmente morta. Esta cidade representa o cristianismo morto, seco, aquela Igreja que Jesus descreve em Apocalipse 3: 1b: “... Tens nome que vive, mas estás morto”.
      Havia profetas estudiosos da Bíblia em Jericó. Até possuíam alguma visão profética, sabiam que Elias seria levado aquele dia. Era uma geração de ministros, enviado por toda a Judá e Israel para ministrar a sociedade: edificando escolas, alimentando os pobres, pregando a Palavra. Creio que  até gostavam do “réteté”, de um “barulho”, mas, algo faltava neles: poder, a unção e a autoridade do Espírito Santo: “Os filhos dos profetas que estavam em Jericó se chegaram a Eliseu, e perguntaram: Sabes que o Senhor hoje tomará o teu senhor por sobre a tua cabeça? Respondeu ele: Sim, eu sei, mas calai- vos” (2 Reis 2: 5).
      Esses ministros eram totalmente ignorantes quanto às maneiras de operar e as obras do Espírito Santo. Eles até poderiam testemunhar pregar, falar de milagres... Mas não haviam experimentado o poder de Deus para si próprio: “Disseram- lhe: Com teus servos há cinquenta homens valentes. Deixa- os ir buscar do teu senhor. Pode ser que o Espírito do Senhor o tenha arrebatado e lançado nalgum monte, ou nalgum vale. Respondeu Eliseu: Não os envieis” (2 Reis 2: 16). É esse quadro em nossa Betel, crentes, se gabando de ir orar no “monte”, palitós ungidos, rodopio, danças, um cai cai sem noção, verdadeiros “espetáculos”, mas, não há porção dobrada do Espírito Santo.
      Ao passar por Jericó, Elias mostrou para Eliseu que aquele ministério era carnal, uma geração de ministros que precisavam de autoridade e poder, talvez Elias tenha dito para Eliseu “Fica- te aqui...”, mas Eliseu sabia que necessitava de porção dobrada para lidar com esses ministros carnais, todos queriam ser como Elias, usar o seu método, seus livros, sua doutrina, na esperança de criar seus milagres e fazer chover fogo do céu, talvez imitar até o tom da sua voz. Porém, sem o poder e a autoridade do Espírito Santo? Eliseu discerniu a igreja morta e seca, mas agora queria receber o toque do próprio Deus. Ele sabia que somente com a unção dobrada do espírito Santo, aqueles ministros seriam tocados, e ele diz para Elias: “... Tão certo como vive o Senhor, e vive a tua alma, não te deixarei. Assim ambos foram juntos” (2 Reis 2: 6b).
      Porque Elias insistiu fazer a travessia de uma maneira milagrosa? Havia cinquenta jovens que poderiam construir uma jangada, como construíram aquela casa para Eliseu. “Vamos até o Jordão, e tomemos de lá, cada um de nós, uma viga, e construamos ali um lugar, para habitarmos. Disse ele: Ide” (2 Reis 6: 2). Elias mostrou a Eliseu que ele teria que ir além das travessias milagrosas do passado. Eliseu precisava testificar o poder de Deus na sua vida pessoal.
     Ao atravessar o Jordão, Eliseu tinha uma experiência pessoal não vivia apoiado no passado de Elias: “Então tomou a capa que caíra de Elias, feriu as águas, e disse: Onde está agora o Senhor, Deus de Elias? Quando feriu as águas, estas se dividiram para um e outro lado, e Eliseu passou” (2 Reis 2: 14). Em essência Eliseu estava dizendo: “Senhor, todos os meus antepassados espirituais morreram e se foram. E esta hora terrível requer ainda mais do que destes até aqui. Opera novamente, Senhor desta vez através de mim. Tenho de ser possuído por mais de teu Espírito”.
     Ao fazer uma viagem Missionária com Elias em Betel e Jericó, Eliseu volta para essas cidades novamente, mas agora com a porção dobrada do Espírito,
     Betel: Eliseu vê uma sociedade corrupta com uma geração morta de jovens: Então subiu dali a Betel. Indo ele pelo caminho, uns rapazinhos pequenos saíram da cidade, e zombavam dele, dizendo: “Sobe, calvo! Sobe, Calvo! Virando- se para trás, viu- os e os amaldiçoou em nome do Senhor. Então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles rapazinhos” (2 Reis 2: 23- 24).
      Você pode perguntar: “Eliseu causou a morte de quarenta e dois jovens por um ataque de egoísmo?” Porque mexeram com a sua careca? Não! Eliseu movia- se no poder do Espírito Santo agora. Esses jovens zombaram contra o ministério do Espírito Santo; um pecado imperdoável. Eles sabiam a respeito do translado de Elias, e agora zombam de Eliseu dizendo: “Sobe, calvo! Sobe, calvo!”.
     A igreja decaída de Betel de hoje com seu jovens ministros, estão fazendo a mesma coisa. Multidões se reúnem para adorar diante de um altar de favores.  Os bezerros de ouro tomaram conta dos altares de Betel. Estamos diante de uma geração de escarnecedores e zombadores. As musicas que o mundo rejeita, estão sendo tocada nos altares de Betel, quarenta e dois caixões foram expostos em Betel, o que tem acontecido com os nossos jovens de Betel? Precisamos desesperadamente de porção dobrada do Espírito Santo.
       Jericó: Eliseu volta a Jericó com a porção dobrada do Espírito, quando Eliseu entrou na cidade os homens lhe disseram: “... Como o meu senhor vê, esta cidade é bem situada, mas as águas são más, e a terra é estéril” (2 Reis 2: 19).
       As águas envenenadas significam a palavra poluída sendo pregada dos púlpitos das igrejas. Sermões dirigidos pela carne, causando morte espiritual para o seu povo. Não há pregadores, hoje gostam de ser chamado de “preletores”, o culto a Deus passou a se chamar de “concentrações”, “sessões”, “manifestações” e “show da fé”.
      Jericó significa “agradável”, representa o ministério: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como deveis responder a cada um” (Colossenses 4: 6).
       Qual é a cura para Jericó? Purificar os suprimentos de águas, para isso precisamos de vasos limpos cheio de sal: “Disse ele: Trazei- me uma tigela nova, e ponde nela  sal. E eles  a trouxeram. Então saiu ele ao manancial das águas, e deitou sal nele, dizendo: Assim diz o Senhor: Sarei estas águas. Jamais causarão morte nem esterilidade. Ficaram sãs aquelas águas até o dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu tinha dito” (2 Reis 2: 20- 22).
       As águas é a Palavra, o sal representa o evangelho da pureza e da santidade. Só há uma coisa que pode deter a onda maligna que avança sobre à Igreja do Senhor: vasos limpos e puros. Andando em Santidade. Jesus prometeu: “Vós já estai limpos por causa da palavra que vos tenho falado” (João 15: 3). Jesus continua nos purificando com as águas de Jericó (lugar chamado agradável). Ouça! Você quer ressuscitar os mortos da sua igreja? Você quer vida para o seus familiares? Quer dar vida ao seu casamento? Quer levantar almas do tumulo das drogas e do alcoolismo? “Enquanto alguns enterravam um homem, de súbito viram um bando de invasores, e lançaram o homem na sepultura de Eliseu. Quando o cadáver tocou os ossos de Eliseu, o homem reviveu, e se levantou sobre os seus pés” (2 Reis 13: 21).
       Você já tem o seu “sucessor espiritual” na sua família? Saiba que Deus continua falando para nós: “Quero realizar milagres em sua vida, transformar o seu lar, acertar o seu casamento, salvar seu queridos não salvo. Você vai ser capaz de enfrentar o seu próprio Mar Vermelho, seu próprio Jordão. Deus nos fala neste dia claramente: “Eu quero abrir estas águas para você, mas, você precisa de porção dobrada de meu Espírito Santo”!”. Pastor Elias Fortes.
    



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...